Pesquisas mostram que mercado tem que se adaptar aos millennials

(Foto: Freepik)

Uma pesquisa, realizada pela consultoria Bain & Company e a Farfetch, constatou que os negócios online terão um papel fundamental para atender a demanda de consumidores nos próximos anos.

Segundo o estudo, 40% das vendas globais de produtos de luxo até 2025 serão realizadas pelos millennials – pessoas nascidas após 1982 – que se tornarão o maior público consumidor desses produtos.

“A característica mais impactante desse público é que seu processo de compra passa bastante pela internet. A estratégia de marketing e mídia nas empresas precisa ser repensada”, explicou Gabriele Zucarelli, sócio da Bain & Company.

De acordo com a pesquisa, em 2016, 100% das pessoas entre 15 e 35 anos compraram um artigo de luxo pela internet e 14% fizeram a primeira compra desses produtos por meio de sites e comércios online. Cerca de 96% dos consumidores entre 36 e 45 anos usaram a internet para comprar algo. Por outro lado, 90% das pessoas com faixa etária entre 46 e 55 anos preferem pesquisar na internet antes de comprar e apenas 3% compraram pela rede.

A idade também influencia diretamente no modo como um produto é consumido. Segundo Zucarelli, enquanto as gerações mais velhas preferem experimentar o produto com um tratamento individual e diferenciado, os millennials tiram fotos para compartilhar a experiência e saber a opinião dos amigos.

“A geração do milênio tem mais interesse em produtos que podem ser personalizados ou que ofereçam uma experiência diferenciada, como um convite para eventos ligados à marca do que ir à loja em si”, explicou.

Desta forma, o comércio eletrônico será a preferência para compras e deverá atingir 25% de participação no mercado de luxo até 2025. Já as lojas exclusivas de grifes, que equivalem atualmente a 30%, vão representar 25% e as lojas de departamento receberá 23% dos negócios do segmento.

Brasil

No início do mês, a Associação Paulista de Supermercados (APAS) divulgou uma pesquisa em que constatou que os millennials são mais fieis as marcas. Realizada pela Nielsen para entender a tendência do consumidor no supermercado, o estudo constatou que esse público pode até reduzir os gastos no supermercado, mas não trocam as marcas que mais gostam.

“É importante o supermercado gerar aderência no jovem de hoje, a fim de assegurar a longevidade da relação com esses clientes que envelhecerão e serão maioria no futuro”, explica Rodrigo Mariano, gerente de Economia e Pesquisa da APAS.