Blog neWS Energia

São Paulo pede água e busca energia

A paulista Cesp perdeu a concessão de hidrelétricas, por não aderir ao programa do governo federal sobre renovação das concessões. Não faltou energia à época para o tucanato contestar o governo do PT. E tinha lá suas razões, pela conta que pagamos hoje com as tarifas de energia elétrica. O governador Geraldo Alckimin, crítico da política energética que vive um apagão nacional, resolveu buscar luz em outras fontes.

São Paulo vai conviver com termelétricas, nos próximos anos. Para fortalecer a Cesp, os planos são erguer usinas movidas a gás, biomassa e solar. A primeira PCH no esquema de Sociedades de Propósito Específico, com participação minoritária, deverá ser no rio Pardo.

(Foto: O Estado)
(Foto: O Estado)

As térmicas, que são mais caras, também deverão ser erguidas em áreas da Empresa Metropolitana de Águas e Energia, junto à unidade de geração termelétrica de Piratininga, na zona sul da capital, somando 1.500 MW.

Enquanto isso, professores da USP estudam a criação de um sistema reversível de água na Usina Henry Borden, em Cubatão, em torno da Represa Billings, para abastecimento e geração de energia. Ouvido pelo Estadão, o professor Sadalla Domingos propõe tornar a hidrelétrica Henry Border, em uma usina reversível, onde a água produz energia durante o dia e volta bombeada para a represa à noite, poupando até 7,5 mil l/s. Seria muito bom se, além de políticos, o governo ouvisse ideias de nossa melhor produção intelectual com suas ideias consistentes e alternativas.

 

CURTAS

 

Usina solar é capaz de fornecer energia para 1,8 mil pessoas

Em junho de 2014 foi instalada uma usina solar na sede da Eletrosul, a Usina Megawatt Solar, reconhecida como o maior complexo fotovoltaico integrado a um edifício da América Latina.  Aproximadamente 540 residências de Florianópolis são abastecidas com energia gerada pela usina, que conta com 4,2 mil módulos instalados numa área de 8,3 mil m² e é capaz de produzir até 1,2 gigawatt-hora (GWh) por ano, abastecendo 1,8 mil pessoas.

Fonte: Painel Florestal

 

No caminho de se tornar grande produtor de energia via biomassa

O Brasil tem hoje entre 78% e 89% de sua energia elétrica produzida por meio de fontes renováveis. No mundo, a média é de 20%. A Europa pretende chegar a 60 % somente em 2020. Atualmente, 85% da energia que movimenta o mundo são de origem fóssil, e 80% dessa energia tem seu uso concentrado em cerca de 10 países. . Somente a produção de briquetes, que substituem a lenha, cresce 4,4% ao ano. A produção de toras cresce, em média, de 8% ao ano, enquanto que a média mundial é 2% ano.

Fonte: Painel Florestal

 

Mais Peixes em Nossas Águas dá à Itaipu o primeiro lugar no Benchmarking 2015

A empresa obteve o primeiro lugar no Prêmio Benchmarking 2015, com o programa Mais Peixes em Nossas Águas, uma das iniciativas do Cultivando Água Boa (CAB). A Itaipu concorreu com outras 28 organizações previamente qualificadas para o ranking, entre elas a Petrobras, Ambev, Sabesp e Cargill.

A produção anual é de 140 toneladas de pescado, que representa 10% da produção atual do reservatório, com geração de renda declarada de R$ 750,00 por tanque-rede/ano. Mas a expectativa é que esse modelo possa alcançar uma produção de até 4.600 toneladas de peixes/ano, dentro das áreas já estabelecidas pelo zoneamento ambiental e que equivalem a menos de 0,01% da lâmina d’água do reservatório.

Fonte: Paraná Shop