Veículos Elétricos ainda precisam de defensores?

(Foto: Pixabay)

A poluição por diesel vai matar 178 mil pessoas em São Paulo nos próximos 30 anos, segundo nova estimativa do Greenpeace. Neste cenário, os veículos elétricos surgem como uma alternativa para combater a poluição e a emissão de gases de efeito estufa, que contribuem para o aquecimento global.

O especialista no assunto Igor Napol reuniu alguns argumentos pró e contra os veículos elétricos, baseado em dados divulgados. O principal argumento negativo refere-se à bateria, que envolve CO2 equivalente a oito anos de direção de um carro movido a gasolina. Mas ele explica que esse tipo de comparativo não inclui a emissão do processo de extração, refino e transporte do combustível.

A informação faz parte de um filme financiado pelos irmãos Koch, chamado “Os Segredos Sujos dos Carros Elétricos”. Sobre o uso das baterias pós-vida útil, muitas companhias têm projetos para que sirvam como unidades de armazenamento doméstico mais em conta, o que estende consideravelmente a vida útil do produto. Ainda assim, fábricas de baterias para carros elétricos, como é o caso da Gigafactory da Tesla, são alimentadas por energia renovável.

A infraestrutura é outro fator questionável: são pouquíssimas cidades que contam com pontos de recarga para veículos elétricos e não há um “corredor elétrico”. Mas a tendência é que isso mude. Nos Estados Unidos, na Europa e na Oceania já existem estruturas que permitem percorrer grandes distâncias com um VE.

Em favor desse argumento, basta dizer que as montadoras de veículos elétricos podem programar os veículos para serem recarregados ao longo de um determinado período, evitando picos de demanda caso todos os donos resolvam ligar seus carros ao mesmo tempo na tomada.

Voltaremos ao assunto.

** Com informações do Tecmundo

COMPARTILHAR
Walter Santos, jornalista, diretor de tv e especialista em energia.